CADASTRE-SE

Relações com Investidores

No 1T22 a dívida bruta totalizou R$ 7.599,5 MM e o caixa R$ 1.463,3 MM, resultando em uma dívida líquida de R$6.136,1 MM. O aumento de 14,9% da dívida bruta no período se deve basicamente à 11ª emissão de debênturesda TAESA, concluída em fevereiro deste ano.

O aumento de 270,7% no Caixa e Aplicações no trimestre é explicado principalmente pelos recursos recebidosreferente à 11ª emissão de debêntures e a geração operacional de caixa no período.

Consolidando proporcionalmente as empresas controladas em conjunto e coligadas, o total da dívida bruta seria de R$ 9.667,4 MM e o caixa de R$ 1.694,3 MM, considerando os seguintes valores: (i) dívidas da TBE no montante de R$ 963,2 MM e caixa/aplicações de R$ 106,9 MM; (ii) dívidas da ETAU no valor de R$ 3,7 MM e caixa/aplicações
de R$ 6,3 MM; (iii) dívidas das Transmineiras no montante de R$ 48,6 MM e caixa/aplicações de R$ 10,5 MM; e (iv) dívidas da AIE (Aimorés, Paraguaçu e Ivaí) de R$ 1.052,4 MM e caixa/aplicações de R$ 107,2 MM.

Considerando a dívida líquida proporcional das empresas controladas em conjunto e coligadas, a relação dívida líquida sobre EBITDA ficou em 3,8x no 1T22, abaixo do registrado no 4T21 (4,2x). Desconsiderando o resultado das empresas controladas em conjunto e coligadas, esse indicador seria de 3,7x no 1T22 versus 4,1x registrado no 4T21.

1 Para análise do fluxo de caixa da Companhia é mais adequado utilizar o Resultado Regulatório que reflete de forma fidedigna suas operações.

Perfil da Dívida

Prazo da Dívida

Estrutura de Capital (BV)